quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

a pessoa não deve oscilar entre a impaciência e a preguiça, nem se preocupar se o resultado ainda não veio

“A repetição do Nome de Deus e a meditação nunca devem ser julgadas através de meros padrões externos; elas devem ser julgadas pelos seus efeitos internos. Se a pessoa oscila entre a impaciência e a preguiça, e se preocupa sempre com "Por que o resultado não veio ainda? Porque ainda está tão distante??, então tudo se torna apenas repetir o Nome e meditar pensando nos frutos. O único fruto da repetição dos Nomes Divinos e da meditação é a conversão centrada do foco externo para o interno, vendo a realidade da bem-aventurança do Atma. Para essa transformação, é preciso estar sempre ativo e esperançoso, independentemente do tempo despendido e das dificuldades encontradas. Não se deve calcular custo, tempo ou problema. Há que se aguardar a vinda da graça do Senhor. Essa espera paciente é, em si, parte da austeridade de meditação (Tapas). Apegar-se sem hesitação ao voto é a austeridade.” (S.B.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Twitter Updates

    follow me on Twitter

    Seguidores